Recomendação dos Migos #3 | Literatura Angolana por Rosa Soares

1.4.17

Depois de algumas leituras, escritas, questionamentos e diálogos cheguei à conclusão de que a literatura angolana vai além de literatura feita por angolanos ou sobre Angola. Num diálogo que tive com um conhecido, percebi que para definir literatura angolana é preciso encontrar um ponto que nos une: A expressão ‘’O Angolano tem uma forma única de ser, pensar, agir e expressar-se seja na linguagem ou emoções.’’ Ele disse. Nesta mesma conversa, falamos sobre escritores angolanos que escrevem com olhos de expectadores, sobre escritores que marginalizam a vivência urbana e principalmente sobre os que escrevem como falamos, descrevem o que vivemos e criam personagens que nos fazem lembrar da nossa vizinha fofoqueira ou até mesmo do nosso tio que fala em todos os pedidos. Este último grupo, de acordo com a nossa conversa, faz justiça ao que é literatura angolana: A exposição do modo de sentir e viver do angolano. Tal ponto reforçou-se quando li uma entrevista do escritor Ondjaki onde ele rejeita o título de escritor de expressão portuguesa e, em vez disso, defende ser um escritor de expressão angolana. Com isso, posso concluir que literatura angolana é a essência de cada um de nós, é o âmago da nação, o dinamismo, a alegria que pode levar ao contentamento, as malabarices, sonhos e medos que nos unem como um só. O meu amigo, ainda disse ‘’Fazer literatura angolana é conseguir mostrar com naturalidade aquilo que os angolanos são.’’  Em outras palavras, a nossa literatura é o que nos define. Por isso, penso que na posição de jovens fazedores e consumidores de literatura, ainda temos um longo caminho por percorrer não só ao definir mas também ao criar literatura.
Enfim... fiz toda esta introdução para ilustrar como o convite da Yokutxa apareceu em hora certa, surgiu num momento oportuno e deu-me a oportunidade de aprofundar as minhas reflecções sobre o tema. Sem alongar-me mais do que necessário, cá estão as minhas (um pouco mais do que) 3 recomendações sobre literatura angolana.


Vidas de Areia de Divaldo Martins

"seu porco de merda", celebrava, com um coco. "Não ando a te falar para não brincar na areia?" "E vou brincar então aonde?", me dava vontade de perguntar. 
O quintal onde estava a nossa casa era de areia, o próprio beco que era a nossa entrada e saída para o mundo era de areia... Tudo era de areia. O bairro, os sonhos, as vidas, tudo era de areia!

Imagem fornecida por Rosa Soares
Onde encontrar: Livrarias em Luanda, Kero.


Nova Angola é um canal que pretende mostrar à Angola e ao mundo um pouco sobre a nossa cultura e a sua evolução. O que mais gosto no canal é a série de vídeos ‘’Leituras’’, onde se explora um escritor angolano e uma das suas obras em termos do processo de criação e as mil histórias por detrás do que lemos.

Imagem fornecida por Rosa Soares
Deixo aqui  3 vídeos da série:

O Cronista é uma página criada e dirigida por um jovem angolano, onde regularmente são publicados trechos de literatura e questões interessantes para debate.

...

Nota da Editora Baixinha: agradeço imensamente a Rosita (sim, continua a saga de nomes de carinho) pelo texto e as recomendações, tal como pela paciência por eu ter atraso essa publicação uma semana por motivos vários. E vocês podem encontrá-la nos endereços abaixo.

    

Cenas Parecidas

0 Outras Alturas

Skoob | Minha Biblioteca Virtual

Portfólio | Arquitetura & Design

Flickr | Galeria de Fotografias