Praia

15.3.17


Deixo a água molhar-me os pés. Vejo os grãos de areia fixarem-se entre os meus dedos. Sinto o vento forte no meu rosto. Ouço o rebentar cadenciado das ondas. Sinto o cheiro do mar. Entro em transe. Sou interrompida pela tua mão no meu ombro. Parece que já chamas por mim há algum tempo. O transe durou mais do que me lembro. O sol já quase se escondeu no mar. A lua já brilha alta. É hora de ir embora. Mas não quero. A praia é o meu lugar predilecto. É o único sítio que me consegue acalmar. Onde me permito nada mais do que apenas ser. Mas os meus argumentos não te fazem sentido algum. Pareço-te lunática. Talvez demasiado romântica. Ainda tento rebater. Sem qualquer efeito na tua mente decidida de pessoa que sabe o que quer. Essa característica que sempre te invejei. E que por mais que tentasse jamais conseguia desenvolver. Até aquela última ida à praia. Quando disse que não me ia embora contigo. Para lado nenhum. Nunca mais. 

Cenas Parecidas

0 Outras Alturas

Skoob | Minha Biblioteca Virtual

Portfólio | Arquitetura & Design

Flickr | Galeria de Fotografias