As Minhas Profissões

8.9.10



Eu quero ser arquitecta. Sim, quero mesmo. Não é desde sempre. É qualquer coisa como desde há dois anos no máximo dos máximos. Nem sei se chega a tanto. Enfim...sou uma sonhadora e já quis ser muita coisa. Vou falar sobre as profissões que mais me atraíram. Aqui vão:

Veterinária

Na primária eu quis ser veterinária por causa da louca paixão que eu tinha (e ainda tenho) pelos meus cães. "Que coisa mais linda, poder cuidar deles o dia todo", era esse o meu pensamento. Imaginava o meu consultório ligado a um abrigo para cães. Quis ser veterinária, mas só para tratar cães. Não gosto muito de gatos e os cães eram a razão pela qual eu ia fazer veterinária, portanto era justo...ou não. Mudei de ideias e me apaixonei por outra coisa...

Assistente de Bordo/Hospedeira/Aeromoça

Chamem-lhe o que quiserem, mas foi essa paixão profissional que substituiu a veterinária. Quando eu viajava e via aquelas mulheres com aquele uniforme colorido, limpo e engomado ficava com uma certa inveja do respeito que as pessoas tinham por elas e não por mim. Mas, ao mesmo tempo, imaginava-me dentro dum fato daqueles a ser simpática com pessoas desconhecidas e, as vezes, nem tão simpática assim. Mas, mais uma vez, mudei de rumo...

Estilista

Hahaha. Essa foi uma das melhores fases da minha vida. Quando eu quis ser estilista eu achava que o mundo todo me conheceria e adoraria. Eu seria uma daquelas pessoas de quem se fala cem vezes por minuto no mundo todo. Claro que também me imaginava cheia de dinheiro, com uma espaçosa e linda casa e uma frota daqueles carros que aparecem com os mais afortunados nas revistas todas semanas. Resumindo foi tudo muito bonito na minha cabeça até eu realizar que não tinha grande (nem médio, talvez pequeno) talento para aquilo e virei a página...

Advogada

Isso sim era profissão para mim. E para isso eu tinha talento. Tinha sempre uma resposta preparada para tudo, me inteirava dos assuntos com pesquisas discretas (código para mini fofoca) e passava a vida a dizer cuidado que eu te processo. Tinha encontrado finalmente o chapéu para a minha cabeça, a tampa para a minha panela, a fronha para a minha almofada e por aí adiante. Também, mais uma vez, achava aqueles fatos impecáveis e respeitáveis. Aquela postura, a seriedade e as vezes a frieza, ou seja, o pacote todo me atraia para isso, mas não foi dessa vez...

Engenheira de Construção Civil

Acho que isso foi culpa da minha curiosidade e da série Prision Break. Saber tudo que tem por baixo de cada pedaço de chão, dentro de cada parede, o que usar, quando usar e coisas do género. O fascínio que o Michael Scofield me causava com todos aqueles conhecimentos ditos e explicados como se fossem a coisa mais comum e fácil do mundo. Mas também pesou o meu egoísmo. O facto de eu saber coisas que muita gente nem imaginava fazia-me bem ao ego. Mas por uma razão que não me lembro mudei de divisão...

Arquitectura

Finalmente cheguei ao que eu espero ser o meu destino final e feliz. Escolhi arquitectura em um momento que não lembro, mas sei que andei um tempo em dúvida. Acho que tem a ver comigo. É criativa, divertida e descontraída, mas ao mesmo tempo tem uma rigidez, requer uma concentração e claro é importante (tal como eu, hahaha). Acho que agora é de vez. Encontrei a minha profissão.

Assim que me for possível gostaria de fazer Gastronomia ou algo do género. Enquanto andei a rodar em todas as opções acima, já sabia que quis isso como segundo curso.
Também há profissões que acho bonitas...para os outros. Nunca, que me lembre, quis ser professora ou médica porque sei que não tenho a paciência necessária.


Cenas Parecidas

0 Outras Alturas

Skoob | Minha Biblioteca Virtual

Portfólio | Arquitetura & Design

Flickr | Galeria de Fotografias